Certificado

Especialistas apontam cenários para geração de energias no Nordeste

28 de novembro de 2016
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
A energia limpa foi tratada no evento sob o olhar de especialistas que discutiram, também, o potencial energético da região.

A energia limpa foi tratada no evento sob o olhar de especialistas que discutiram, também, o potencial energético da região.

Discussões fizeram parte do encerramento do Papo com Especialistas, painéis temáticos que integraram a programação da primeira edição do TECH NORDESTE.

Quase 300 pessoas acompanharam as três horas de discussões sobre Energias Limpas, último painel Papo com Especialistas da primeira edição do TECH NORDESTE – Fórum de Ciência, Tecnologia e Inovação Sustentáveis para o Desenvolvimento Região Nordeste. Na pauta, o cenário nordestino para geração de energias sob diversos aspectos, como a produção de energia elétrica por meio da captação das forças dos ventos, biocombustíveis e a adoção do Sistema Lavoura-Floreta-Pecuária como alternativa às formas tradicionais de preparação de campos para plantio.

Mediado pelo professor universitário Clóvis Oliveira (Ufma), o evento contou com a participação do chefe geral da Embrapa Meio Norte, Luiz Fernando Carvalho Leite, o pesquisador da Embrapa Energia Renováveis, Manuel Teixeira, e o executivo da CPFL Energia Renováveis, Ricardo Castelo.

O primeiro a falar foi Luiz Fernando Carvalho Leite, que tratou de tecnologias para pequenos agricultores com baixa emissão de carbono. Para ele uma das grandes dificuldades no Nordeste é o baixo nível de conhecimento dos mais de dois milhões de pequenos produtores rurais nordestinos.

“Neste cenário há dificuldades de acesso a informação, o que é agravado pela desarticulação das Empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural nos estados”, comentou, observando que uma das tendências de futuro observadas para a região é a substituição da lógica de sistemas produtivos agrícolas.

“Os sistemas de produção são individualizados e há tendência à substituição por sistemas de produção integrados, o que seria mais rentável do ponto de vista da segurança alimentar e da mitigação do impacto ambiental e climático”, acredita o chefe geral da Embrapa Meio Norte.

Biocombustíveis e biomassa
Já o pesquisador o Manuel Teixeira, da Embrapa Energias Renováveis, que explanou sobre biocombustíveis e biomassa, os primeiros devem ser explorados no futuro em integração com as cadeias produtivas já existentes. “Hoje, o Nordeste não está integrado, é um coadjuvante e perdendo espaço em relação aos biocombustíveis. A região é importadora de energia de biomassa”, informou.

Para Teixeira, a solução está na forma de se olhar para o problema. “O olhar deve ser mais para dentro do Nordeste e trabalhar por uma maior integração entre as culturas existentes e as cadeias produtivas de energia”, afirmou o pesquisador.

O executivo da empresa paulista de energia CPFL Renovável, Ricardo Castro, falou sobre o panorama da geração de energia elétrica por meio da captação da força do vento. “A energia eólica tem grande potencial no Nordeste e com aproveitamento maior do que o de outras formas de geração de energia. Este modo de produção e energia representa 7% do potencial energético do país e a perspectiva é que, em 2030, chegue a 12%. O Nordeste terá um papel importante para que esta perspectiva aconteça”, enfatizou.

Sobre o evento
O TECH Nordeste aconteceu nos dias 16, 17 e 18 de novembro, no Centro de Convenções Pedro neiva de Santana em São Luís, com objetivo criar um espaço referencial de geração e difusão de conhecimentos científicos, tecnológicos e inovadores na região Nordeste para a construção de conteúdos qualitativos e soluções aplicáveis ao dia a dia dos pequenos negócios e da sociedade nordestina.

No total, foram 61 ações entre workshops, palestras, minicursos, painéis, conferências, mostra de trabalhos científicos, protótipos e projetos, entre outras ações, em um espaço onde se concentraram 18 quiosques, 16 estandes, cinco salas, auditórios e uma arena para talks shows.

O evento teve o apoio do Senai, Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Emap, TVN, Enova, Infortask, Hack São Luís, Fapema, Embrapa, Ufma, Uema, Ifma, Faculdade Pitágoras e Faema.
Área de anexos

Não perca tempo, participe!


Antecipe seu credenciamento e evite filas no acesso ao evento. Basta inscrever-se gratuitamente aqui no site e comparecer ao Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana.
As capacitações não terão inscrições prévias. As vagas são limitadas e serão preenchidas de acordo com a ordem de chegada dos participantes.


Programação Certificado
Parceiros
Infortask UFMA IFMA UEMA TVN FAEMA FAPEMA EMBRAPA Enova Pitagoras Hack São Luís
Apoiadores
SENAI EMAP SECTI
Realização
Sebrae
fique por dentro do evento
Assine nossa newsletter